sexta-feira, 15 de outubro de 2010

14º Ciclo Vencido

Um a mais na conta. Ou a menos. Depende do ponto de vista. É mais uma batalha que foi vencida, é menos uma batalha a lutar. Um ano atrás eu não conseguiria imaginar estes números. Quatorze por um lado, quatro por outro. Da mesma forma, ainda não consigo imaginar os números ainda mais importantes. Dezoito por um lado, zero por outro. Este zero que pode ter tantos significados, zero câncer, zero tratamento, zero internações, zero ansiedade, zero sofrimento. Difícil imaginar. Difícil realizar. Uma emoção inenarrável quando acontecer.

O 14º ciclo foi muito tranquilo. Eu diria que foi o ciclo mais tranquilo até agora. Internei no dia 03/10/2010, isto mesmo, no dia das eleições, após cumprir com a minha obrigação de cidadão brasileiro (eu preferiria dizer exercer meu direito ao voto em uma sociedade democrática, mas acontece que o voto ainda é obrigatório, portanto não estou exercendo um direito e sim cumprindo as normas do Estado). Recebi 14g de methotrexate no dia seguinte, a menor dose até o momento e fui liberado na sexta-feira da mesma semana. Todos os índices acompanharam a curva correta. Os rins funcionaram bem e não senti muitos efeitos colaterais.

Enfrentei bem mais essa semana de internação. A reclusão não é muito agradável, mas já desenvolvi ferramentas para ajudar a combater a ansiedade e fazer o tempo passar um pouco mais rápido. Pontuei algumas ideias a seguir.


1- Evitar pensar no tempo
Pensar no tempo é algo que faz o tempo dilatar. O paciente normalmente fica ansioso pensando e calculando quanto tempo ainda falta para sair da reclusão. O interessante é que várias vezes me peguei contando o tempo em função de variáveis secundárias, por exemplo: "faltam três 'Jornais do Almoço' para ir embora" ou "não acredito que ainda tenho que encarar mais dois 'Vídeo Show' ainda".

2- Evitar a cama
Nas primeiras internações eu passava muito tempo na cama. Acordava e não tinha vontade de levantar. Acabava ficando praticamente o dia todo deitado. Isto é muito ruim. Temos que considerar que a partir de um certo tempo (normalmente a partir de terça-feira) já não existe mais sono, portanto mesmo que se fique deitado, não se consegue dormir. Além disso, o humor ficava horrível, a cabeça vazia pensando besteira, sentia menos vontade de comer e sentia mais dificuldades em ir aos pés. Enfim, a cama não ajuda o tempo a passar mais rápido na nossa cabeça, nos debilita fisicamente e psicologicamente. Portanto, cama só para dormir.

3- Evitar a TV nos horários que não agradam
A televisão do hospital é quatorze polegadas. A distância da cama, do sofá e da poltrona que existem no quarto até a televisão é grande. Os canais disponíveis são os da TV aberta. Não bastasse tudo isto, a imagem é ruim, cheia de sombras e toda tremida. Apesar disso, a televisão realmente ainda ajuda bastante a passar o tempo nas horas em que a programação é pelo menos razoável (poucas horas no dia). Então assisto apenas os programas que tenho vontade. Programo toda a minha rotina (almoçar, lanchar, jantar, ir ao banheiro e tomar banho) de acordo com a TV. Adiei meu horário de almoço em quase duas horas para acompanhar todos os noticiários e programas esportivos que passam entre as 12h e as 14h. Da mesma forma, tomo banho ou no horário dos filmes imbecis ou no horário da pior novela do momento. Tento segurar as idas ao banheiro durante os programas, reservando os horários de propaganda para realizar minhas necessidades fisiológicas. É claro que com a rotina "exaustiva" que tenho no hospital não é possível completar todo o espaço de programação ruim da TV. Esse tempo que sobra (é muito tempo!) reservo para o item a seguir.

4- Realizar atividades que der vontade
Levo sempre um livro e o notebook para o hospital, então dá para ocupar o tempo com estas atividades. Leio um pouco. Jogo um pouco. Navego na internet um pouco. Torno a ler. E assim segue. Outra atividade que no meu caso não se aplica devido à total ausência de dom é a música. Para quem sabe tocar algum instrumento, nada melhor do que aproveitar o tempo para tentar tirar aquela música nova ou então aquelas velhas e boas de sempre. Cheguei a comprar um violão. Tentei tocar, aprendi algumas coisas, mas falta o dom. Não tive a paciência necessária e acabei largando o instrumento. Agora ocupo meu tempo com as aptidões que não me faltam.

5- Olhar para a rua
As janelas do quarto são bem altas e enormes, mas vou várias vezes até elas para contemplar a rua. Consigo ver algumas árvores, alguns morros, o estacionamento do hospital e a avenida Ipiranga, sempre movimentada.

6- Tomar banho com bastante calma
Sei que não é ecológico, mas ficar um tempo a mais no banho faz uma diferença enorme no humor. Deixar a água quente cair um pouco sobre o corpo por vezes dolorido, ajuda muito a desestressar e relaxar. Também não posso exagerar, pois a bateria da bomba de administração de soro acaba rápido, mas vale a pena gastar uns 20 minutos embaixo da água quente.

7- Conversar com quem estiver perto
No meu caso, minha mãe, meu pai e a Denise me acompanham sempre. Sempre tem alguém comigo. Às vezes o assunto acaba, mas aí a gente repete, fala de novo das mesmas coisas, lembra de alguma coisa do passado. Assim o tempo acaba andando mais rápido. Quando o pessoal da enfermagem entra no quarto também vale a pena dar uma palavrinha.

8- Receber visitas
Acho que esta é a maneira mais eficaz de fazer o tempo passar. Receber visitas dos amigos ou familiares faz o tempo voar. Na última internação recebi várias visitas, todas me ajudaram muito a conter a ansiedade.



Hoje foi dia de consulta. O Dr. Júlio prescreveu alguns exames de sangue para verificar como estão os índices. Agora já é hora de ir dormir, porque amanhã (tecnicamente hoje, mas como eu ainda não dormi, para mim é amanhã) pela manhã eu tenho que fazer um deles.




Assistindo Resident Evil 4 - 3D

12 comentários:

Luiz Mauricio Finkler disse...

oi Vitaõ!
Começo este pequeno comentário dizendo que Tu és muito importante para todos nós que estamos acompanhando a Tua recuperação. cada vez que lemos os teus relatos sobre a ciclos vencidos,é motivo de alegria. E pode ter certeza: vibramos muito.
O Fato de Eu e a Lúcia, não ter ido Te visitar ainda, não siginifica que és menos importante para nós. Nem pensa uma coisa destas. Tu estás em nossas orações diárias. É vero!!!!
Mas temos que arranjar um dia para ir Te visitar sim. O recado foi dado e mais uma vez obrigado pela aulinha.
Abração Vitão. Tio Maurício e Lúcia

Cintia disse...

Oi Vitor, adorei te conhecer pessoalmente,fiquei mais fã do que já era...
Voçê realmente tem o Dom de conquistar a todos com teu carisma, como se diz aqui no Sul, uma jóia de GURÍ.
Voçê me transmitiu estar muito bem,seguro e confiante.Estamos sempre na torcida por voçê.
Vou te visitar no hospital e levo o Rafa e o Jandrey para te conhecerem tbm, os dois colorados lá de casa....
Abração
Cintia Villar

helô disse...

Sem rodeios, exatamente como o Mauro já disse, eu também entendi o recado. (!!!) Mas é bom repetir que tu és por nós, sempre lembrado e à sua maneira cada um torce pela tua recuperação total e absoluta. Falei no plural porque além dos que me são mais próximos (da minha casa) eu sei que todos, mesmo ausentes nestes piores momentos, te tem em alta conta e estão sintonizados com teu tratamento.
Gostei demais deste último post! Além do teu bem estar, que transparece no texto e é o que mais quer quem te acompanha nesta caminhada, ele veio com um brinde: um guia prático de como driblar o tempo em situações que precisamos lutar contra ele. Muito bom mesmo, deveria ser publicado em revista médica, até porque nas entrelinhas sugere um melhoramento no serviço hospitalar oferecido aos pacientes que precisam ficar internados. Se te falta o dom pra música, como dizes, o da escrita está sobrando, parabéns!
Na torcida Vitor! Os números que faltam, vais driblar com ‘cancha’. Um abração!

Vitor Finkler disse...

Pessoal,
A intenção não era dar recado. Sei que, por motivos diversos, a maioria não consegue me visitar e mesmo que todos conseguissem, esta não é a única maneira de se fazer presente. Muita gente também me visitou em casa. O próprio blog é uma das formas e eu entro todo o dia ansioso por ler os recados que vocês me deixam e que me motivam muito nessa jornada. O fato é que não esqueço cada palavra de incentivo que recebo. Cada gesto, ainda que mudo, de apoio é um troféu para mim, pois consigo ver como sou querido pelas pessoas.
Por favor, não me entendam mal. Talvez não tenha me expressado bem.

Um abraço a todos.
Vitor

Vitor Finkler disse...

Pessoal,
Modifiquei o texto, pois entendi que não estava muito claro e na verdade não expressava o que eu realmente queria expressar.
Agradeço a todos pelo apoio que tenho recebido, seja me incluindo em suas orações, me mandando recados pela internet, me telefonando ou me visitando. Todos vocês tem um espaço especial no meu coração.

Um abraço.
Vitor

cibele finkler disse...

Meu mano amado

Tenho absoluta certeza que em nenhum momento tu quizeste mandar recado para alguém através do blog, muito menos para os nossos parentes queridos que tanto estimammos e que te alegram sempre com seus comentários lindos de força e otimismo. (Parentes, amamos vocês!!!)
Mano, tu tens um coração puro e escreves no blog porque isto é importante neste momento da tua vida. Escrever é terapia, é uma forma de expressar sentimentos, organizar os pensamentos, manter-se ocupado e até mesmo ter a sensação de que o tempo está passando mais rápido...
Tenho orgulho de ti, entendi o que escreveste e tu tens o direito de escrever o que desejares, de qualquer jeito,pois por mais que a gente tente...e pode ter certeza que a gente tenta...jamais saberemos realmente o que tu pensas e sentes nos momentos difíceis de tua caminhada...ops, da nossa caminhada, porque estaremos sempre ao teu lado, senão pela presença, mas em pensamento... TE AMO MUITO!!!
Beijos da Bele.

helô disse...

Vitor, eu já escrevi que gostei demais desse teu post, por mim não precisavas explicar nada! Mas pra te tranquilizar agora é minha vez de acrescentar algo ao que entendi ser o teu 'recado': as tuas palavras sobre as visitas são tão significativas que em mim tiveram efeito reflexo - eu tenho vontade de te visitar e por não ter feito isso senti estar faltando.
O teu texto é uma jóia Vitor, consegues reunir informação com criatividade, didática, simpatia, bom humor e delicadeza e todos te entendem, pode ter a certeza disso.
Abração!

Lorena Aquino disse...

Olá Vitor!!!
Eu sou a mãe do Vinicius: Super Vinicius contra o monstro osteossarcoma. Gostamos muito de ver seus comentários no blog dele. E viemos retribuir e agradecer pela força!!! É engraçado como a gente se torna próximo apesar da distância.Isso é uma das coisas boas que a internet faz por nós.Sentimos falta quando você demora muito a postar, pq apesar de não deixar comentários, passamos por aqui todos os dias.
Muito legal deixar as dicas aqui para passar mais o tempo no hospital. Infelizmente várias delas não se aplicam ao Vini. Ele não gosta de ler, não usa cateter e tem HORROR de perder a punção, então ele fica parado sem fazer praticamente nada. Mas ele está se saindo muito bem, apesar disso.
Um abraço grande e pode apostar que TORCEMOS MUITO POR VOCÊ!!!

Maria Zila Piccoli disse...

Vitor! Adorei a postagem, todos os dias dou uma espiadinha. Comemore mais esta etapa vencida. Escreves maravilhosamente bem! Parabéns! O sucesso deve-se a equipe médica e ao teu jeito de ser, a maneira de encarar as coisas e estar cercado de pessoas queridas, todos estão de parabéns e são exemplos a serem seguidos por todos nós. É uma família unida e iluminada. Vamo que vamo, cada vez mais próximo do final! Abração da Tia Neca, Ju e Tio Lourenço.

Luciana disse...

Vitor, estou impressionada com seu ultimo texto, nossa vc escreve e se expressa muito bem,sempre estou por dentro passando por aqui e lendo o que vc escreve, fico emocionada sempre que leio, você passa um baita exemplo de vida, coragem e fé para todo e qualquer ser humano!!Estou sempre aqui torcendo e rezando por vc, fico muito feliz em saber que está na reta final, no final da jornada e etapa que tivestes que passar!!
Te desejo muita, muita força e fé...e não esqueças dessa velha amigona que tá em coração e pensamento torcendo por vc!
Beijos Lú

C@rin disse...

Oi, Vitor!

Bom ler seu blog. Gostei muito das suas idéias para combater a ansiedade e ajudar o tempo a passar um pouco mais rápido. Já me vali de muitas delas, e confesso que se passasse hoje pelo tratamento, aproveitaria melhor meu tempo, mas felizmente o tratamento termina, e a vida volta à correria, estou cada dia mais perto disso, e você também.

Fé na vida!

Abraços,


Carin

Anônimo disse...

Oi Vitor!
Tenho acompanhado seu blog desde setembro passado. Cheguei até aqui pq. minha sobrinha Bárbara, uma menina de 14 anos está com um osteossarcoma no braço direito (rádio). Estamos no começo de nossa batalha. E você me ajuda a seguir confiante, dando suporte a minha família. Parabéns pela pessoa que você é!Um abração!
Maria Tereza Bitar