terça-feira, 5 de março de 2013

Agora sim, só mais quatro!

Finalmente posso dizer que concluí mais um ciclo de quimioterapia. Ontem pela manhã realizei um exame de sangue e tive a alegria de saber que a minha imunidade está novamente no seu devido lugar. Esta informação tem vários efeitos práticos, pois me libera da dieta de cozidos e fervidos e do confinamento de cerca de dez dias. Agora posso voltar a minha vida normal por alguns dias, fugir um pouco das privações, antes que venha o próximo ciclo. Este é o tempo em que esqueço um pouco do tratamento e trato de viver com mais intensidade!

No momento, apesar de ainda ter o paladar um pouco descontado, posso afirmar que todos os efeitos colaterais perceptíveis da última quimioterapia já estão superados, o único índice que ainda não retornou à normalidade é a contagem de plaquetas (53.000/mm³), que ainda está abaixo dos valores de referência usuais (150.000 a 450.000/mm³), mas já apresenta tendência de crescimento, então, há pouco com o que se preocupar quanto ao quinto ciclo.

Neste ciclo tive a maior queda de plaquetas desde que passamos a utilizar apenas a ifosfamida e o etoposide. Na última sexta-feira, dia 01/03/2013, a contagem de plaquetas chegou a apenas 17.000/mm³. Normalmente, este momento do ciclo apresenta o ponto mais baixo da curva de evolução das plaquetas. Decidimos aguardar o exame da segunda-feira para avaliar melhor, o qual demonstrou a reversão da quadro, como já era esperado. Ainda sobre as plaquetas, considerando que as drogas utilizadas no tratamento do osteossarcoma são mielotóxicas, é indispensável acompanhar a evolução da contagem plaquetária antes, durante e após cada ciclo de quimioterapia. A reduzida contagem de plaquetas pode levar a hemorragias, sendo que os principais riscos associados são a perda de grandes quantidades de sangue no aparelho gastrointestinal e o desenvolvimento de hemorragias cerebrais que podem ser fatais. Para índices abaixo de 30.000/mm³ já existe risco, porém em geral os problemas ocorrem com valores inferiores a 10.000/mm³. 

O próximo ciclo de quimioterapia será o sexto dentre nove. Se tudo correr bem, devo iniciá-lo no dia 1º de abril (e não é mentira!) e serão utilizadas as mesmas drogas. Até lá, terei algumas semanas para recarregar as baterias e aproveitar um pouquinho mais as coisas boas da vida. Além disso, às vezes precisamos dar um tempo para o nosso corpo se recuperar antes de partir para a próxima luta, afinal, precisamos dele saudável para enfrentar o que vier pela frente.

10 comentários:

Karen Finkler disse...

Querido irmão!

Para mim, o mais difícil deste tratamento tem sido ficar longe de ti nos dias seguintes à quimioterapia. Mas sei que é para o teu bem, que este período de reclusão é necessário pois as tuas defesas ficam prejudicadas. Então me resta torcer para que cada ciclo seja vencido o mais rápido possível para novamente estarmos juntos!

Beijos,

Karen Finkler

C@rin disse...

Oi, Vitor

Essas doenças teimosas acham que são espertas e são ultra folgadas, mas nós somos mais fortes que elas, temos a 'lei' a nosso favor, e estamos dispostos a travar os combates em todas as instâncias, até que elas não tenham mais nenhuma chance, até que sejam condenadas à prisão perpétua ou até mesmo à morte.

As plaquetas costumam mesmo ser a última parte do sangue a se normalizar depois desses bombardeios quimioterápicos. Daqui a pouco isso será passado, tudo estará bem, tudo estará nos seus devidos eixos.

Sempre te acompanho aqui no blog. Vamos em frente!

Fé na vida!

Abraço,

Cárin

Letícia disse...

Estamos na torcida!!!

ulisses freire disse...

vitor mande noticias , acompanho seu tratamento des de 2009, abraço passei por isso ,...aguardo noticias
Ulisses freire

Giselle Kelle da Costa Alves disse...

Olá Vitor... Mande notícias, nós que te acompanhamos ficamos preocupados quando não há notícias... Fique com Deus!

Anônimo disse...

Que Deus cuide cada vez mais de você.
E que teu anjo da quadra de proteja.
Tudo vai dar certo

VANESSA disse...

Bom Dia Vitor tenho acompanhado seu blog a poucos dias, assim que descobri que meu filho de 11 anos tbm está com o mesmo problema que vc já realizou o primeiro ciclo de quimioterapia e graças a Deus foi bem agora é se prprar para a proxíma batalha. Sei que o tratamento não é nada fácil afinal faz exatamente um ano e quarto mêses que terminei meu tratamento isso mesmo tive um carcinoma no sei paranasal e com muita fé venci e sei que meu filho e como vc tbm vão vencer. Boa Sorte e lembre-se Deus é maior que tudo está sempre ao lado de todos nós.

Anônimo disse...

Oi Vitor, você está bem?
Por favor, se possível não fique tanto tempo sem escrever, mesmo que seja uma linha, só pra dizer se vc está bem.
Te desejo saúde, força para superar mais essa batalha e indico pra vc o site do oncoguia.

Anônimo disse...

Cara, eu te acompanho desde 2010 quando tive um problema com cancer tambem...Espero que logo vc venca essa batalha, e que isso soh se torne um ponto de lembranca de uma longa vida pela frente...

Desejo-lhe tudo de bom e muita saude!

Sds,

Jose R

Renata Cambuy disse...

Vítor, fico feliz em saber que está bem. Cada dia é um dia e logo logo toda essa tempestade passará...
Torcendo por vc!
Abraços.
Renata.