terça-feira, 17 de novembro de 2009

Mais Exames

Hoje foi dia de consulta ao Dr. Júlio. Terminado o 3º ciclo agora é hora de refazermos os exames para ver se o tratamento está sendo eficaz e como meu corpo está reagindo. Nos próximos dias serei submetido novamente à cintilografia óssea de todo o esqueleto, tomografia computadorizada da região do tumor, do tórax e do abdômen, ressonância magnética e radiografia. Este conjunto de exames nos dará uma noção mais precisa do quadro atual.

Antes de iniciar o tratamento o Dr. Júlio mediu o perímetro da minha coxa na região do tumor e o resultado foi 47 centímetros. Hoje refizemos a medição e o novo resultado foi 44 centímetros, 3 a menos. Em princípio as pessoas ficam felizes por ouvir isto, porém, na minha opinião, é complicado estabelecer precisamente a causa desta diminuição. São duas as causas possíveis: diminuição do tumor e enfraquecimento muscular da região. O fato é que há aproximadamente dois meses e meio não realizo exercícios com a coxa esquerda, o que deixou a musculatura flácida. Para se ter uma ideia, se estou sentado e levanto a perna esquerda é possível perceber nitidamente a dimensão e localização de todo o fêmur, pois a musculatura desce por efeito da gravidade. Isto não acontece com a perna direita. A minha teoria é que as duas causas possíveis estão ocorrendo concomitantemente. Isto só poderá ser comprovado com os exames que citei anteriormente.

Definimos o calendário dos próximos ciclos de quimioterapia. O 4º ciclo será realizado na semana que vem, a partir de quarta-feira. Novamente, serei submetido a doxorrubicina (droga vermelha) e cisplatina. Este ciclo será idêntico ao primeiro e não é necessário passar a semana no hospital. É o que mais abate o organismo, dá enjôos, vômitos, cai o cabelo e etc. A má notícia é que, se tudo correr como o planejado, passarei o Natal no hospital para fazer o 5º ciclo. O 6º ciclo ficará para a segunda semana de janeiro de 2010. Completados os seis ciclos estarei pronto para a cirurgia, mas até lá ainda tem muita luta pela frente!

Conheci uma menina chamada Carol. Já havia sido apresentado à mãe dela. Ela teve um osteossarcoma no ombro e está realizando um tratamento igual ao meu. Ela já está no final e pelo que vi poderá voltar a sua vida normal em breve. Esta sensação deve ser muito boa! Dias atrás conheci uma menina chamada Letícia que também teve osteossarcoma e já acabou o tratamento há dois anos e leva uma vida super normal. Desejo tudo de bom para elas! Torço que nunca mais precisem passar por isto novamente! São exemplos que quero seguir!

5 comentários:

Anônimo disse...

Uma verdadeira lição de vida cada palavra escrita por ti. Grande abraço. Lauro

tatiane disse...

Oi Vitor! Pois é, a tua teoria faz sentido. A falta de exercício "diminui" a musculatura mesmo e a quimio tb deve ter diminuído o tumor. Então, parece que é bom ter diminuído!
Que legal que tu conheceste duas gurias que já passaram pelo que tu está vivendo, deve dar mto ânimo de seguir o tratamento!
Até a festa do vô juca e da vó lori!
bjs tati

Samuca disse...

Aeh rapaz, quem te escreve é o Samuel aqui de Campo Bom, faz bastante tempo q a gente não se fala, mas fiquei sabendo da sua luta e comecei a acompanhar o blog, ja faz uns dias q estou acompanhando e torcendo por vc, primeiramente, nem sabia o q escrever, conversei um pouco com minha mãe e expliquei q achava estranho deixar um recado pra vc sendo q a gente não se fala a tempo, mas ela me aconselhou a deixar um recado de qualquer jeito pois o q interessa é passar pra vc q mais uma pessoa (mesmo q de longe) esta na torcida por seu tratamento e muito confiante.
Um grande abraço pra vc, e da um abraço na dona Neusa e no Sr. Canha.

Lê... disse...

Ae, brevemente você também fará parte dos que já passaram por isso! Amém! :D

Carolzinha disse...

Olá,fico mto feliz,que vc esta enfrentando com garra tudo isso e ñ está se deixando abater!
Pode ter ctz,que a cura está na "cabeça" a cabeça é quem manda em nosso organismo.
Mentalize sempre que vc sairá dessa,pode ter ctz q sairá!
Vibrações positivas pra ti sempre.
Beijos Carol